terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Vai uma dorzinha aí ? - A antecipação da dor é pior que a própria dor... portanto, vigiai.


Pesquisas recentes demonstram que as pessoas sofrem por antecipação. Ou seja, muito mais do que precisam.

Estudos demonstram que a antecipação da dor é pior que a própria dor... Em outras palavras, as pessoas ficam felizes em suportar um pouco mais de dor se elas puderem senti-la agora, em vez de ficar esperando por ela, mesmo sem saber quando.
Teorias clássicas da tomada de decisão, por exemplo, supõem que as pessoas preferem adiar as punições e antecipar as recompensas porque eventos distantes parecem ser menos importantes - isso é chamado de "descontos temporais".
Entretanto, essa teoria parece desabar quando o assunto é...

a dor. Explicação possível é que a antecipação da dor é, por si mesma, desagradável, um fenômeno que os ...
pesquisadores denominam apropriadamente de "temor".
Medo no tempo...
Cientistas ingleses decidiram investigar como o temor, ou o medo, variam com o tempo. O site Diário da Saúde publicou citação de Giles Story e de seus colegas da Universidade College de Londres que chegaram a convencer 33 voluntários a ficar em um aparelho que lhes dava choques elétricos suportáveis. Os voluntários podiam escolher entre choques fracos, moderados ou mais fortes que fossem aplicados agora ou mais tarde.
Embora algumas pessoas tenham...
sempre optado por experimentar o mínimo de dor, em 70% das vezes, em média, os participantes optaram por receber mais choques mais cedo do que um número menor de choques mais tarde. 
Variando o número de choques e o tempo de espera, a equipe verificou que o medo da dor aumenta exponencialmente à medida que se aproxima a hora de sentir essa dor.
O medo da antecipação é tão forte que reverte o padrão tradicionalmente aceito de "desconto temporal".
Vai uma dorzinha aí?
Estudo similar já havia comprovado que pessoas podem experienciar a dor como um alívio, e até como prazer, quando ela dói menos que o esperado. Ou seja, um sentimento de alívio pode transformar dor em prazer.
"Provavelmente não é um exagero dizer que as dores na vida se originam tanto, ou até mais, da antecipação e da memória do que de experiências reais," avalia George Loewenstein, professor da Universidade Carnegie Mellon, que analisou o estudo. Segundo especialistas, o e
xperimento poderá ter implicações para a medicina, porque compreender como as pessoas julgam a dor é importante para lhes apresentar opções de tratamentos potencialmente dolorosos.


Em se tratando das medicinas tradicionais - caso da acupuntura e dos medicamentos frequências - é muito importante trazer o paciente para o momento presente, o conhecido aqui e agora, para que possa reduzir a ansiedade e viver apenas o momento presente, dolorido ou indolor. Sendo como se é...BP - responsável pelos pensamentos e obsessões, sobretudo sedando (reduzindo sua energia) é pPor intermédio de estímulos nos pontos adequados, sobretudo no meridiano do Baço-Pâncreas - ossível reduzir preocupações e ansiedades.


Maiores informações estou à disposição.


João Carlos Baldan

Acupunturista - Associação Brasileira de Acupuntura – ABA
Pós-Graduado latu sensu em Acupuntura – ABA/Ibraho 
Especialista em Psicopatologia – USP
Terapeuta Floral Alquímico 
EFT – Massoterapia, Ventosaterapia – Tratamento Quântico e Frequencial  
Jornalista e Escritor

Rua Tomás Carvalhal, 614-F - 11 3887 4711
Rua dos Franceses, 98 - 11 3263 1212

11 991 200 465